Páginas

sábado, 1 de março de 2014

Por que uma Nova Catedral?


Por que uma Nova Catedral?

Já temos visto nas redes sociais, nas paróquias e, de modo particular, entre as lideranças católicas, as propagandas da campanha pela Nova Catedral da Arquidiocese de Niterói. Como tudo na vida, há quem se coloque contra e quem se coloque a favor e variadíssimos são os argumentos tanto de uns quanto de outros.

Falam os que não aderiram plenamente à campanha, dos motivos pelos quais não se deve “onerar” as paróquias, principalmente as menores e as que se encontram com obras e construções em andamento. Entabulam que há bem pouco houve uma obra na Catedral de São João Batista e que ela se encontra em digno estado, que seria desnecessário um esforço arquidiocesano para a construção de um templo quando temos muitas frentes mais importantes, e por fim que não se deveria investir num templo projetado por um pagão, haja vista que a obra foi projetada por Oscar Niemeyer.

Não sei se causa incômodo a assinatura do projeto, entretanto, reconhece-se a notoriedade e a genialidade do maior expoente em arquitetura do país, reconhecido mundialmente. A opção religiosa do arquiteto não desmereceu em nada a simbologia católica. Há bem da verdade, muitas vezes o projeto foi refeito para atender melhor as necessidades do que deveria ser uma catedral na plena acepção da palavra.

Fato é que temos muitas frentes de trabalho importantes para nossa Arquidiocese e poderíamos enumerar as ações frente à explosão demográfica na Região Rural de nossa Arquidiocese em decorrência do Polo Petroquímico; as necessidades de organização e unidade das paróquias e vicariatos ao redor da Arquidiocese; a ampliação de diversas igrejas que já não comportam mais o número de fiéis; investimento na formação dos leigos principalmente frente aos desafios da iniciação à vida cristã e até mesmo, por que não, um local com infraestrutura suficiente para nossos eventos Arquidiocesanos e, por fim, a implementação de nosso plano pastoral que ainda dá seus primeiros passos.

Não obstante todas essas necessidades, e ainda outras a serem elencadas, nada caberia mais honrosamente como resposta que a construção da Nova Catedral, uma vez que, sendo a Catedral sinal de unidade da Igreja particular de Niterói, seja síntese dos anseios de respostas para aquelas questões.

No que pese o fato, nossa Arquidiocese, de proporções magnificas, bem mereceria um templo que ao mesmo tempo expressasse o louvor a Deus que se eleva em todas e cada uma das paróquias que a compõem e a grandeza de nosso povo fiel que sempre respondeu maciçamente às convocações dirigidas. Não parece que só isso seria um bom motivo?

Não só isso, o sinal de comunhão com os ideais arquidiocesanos se fazem sentir de um canto ao outro de nossa arquidiocese. Nunca se fez tão necessária a expressão de comunhão e unidade. Em que mais poderíamos concretizar tais ideais senão na construção de uma Catedral?

Quantas vezes mais teremos oportunidade de mostrar nossa alegria em ser católicos se houver um espaço que, comum e de fácil acesso, nos congregue na unidade não somente física, mas, sobretudo, espiritual?

Essa é a hora em que todas as nossas comunidades – das maiores às menores – deverão se unir num ideal tão nobre que nos fará lograr um grande resultado temporal e espiritual na edificação do Reino de Deus. Cada qual ao seu modo, com grandes ou pequenas contribuições, segundo suas possibilidades, deve aderir de coração e vontade à campanha da Nova Catedral, para que nossa Arquidiocese se erga com um verdadeiro símbolo de unidade presbiteral e eclesial.

Convido a todos: Paroquianos, amigos e irmãos em Cristo a darmos as mãos para mais esse gesto de comunhão na construção da nossa Nova Catedral.

 

Em Cristo,

Pe. Fabiano de Carvalho Silva